NOVO! Faça agora sua inscrição para o Simpósio - USk Paraty 2014!

31.8.11

Uma parada na igreja

Mudança radical de tempo em São Paulo. Chovia muito hoje cedo, enquanto eu subia a rua Frei Caneca em direção à avenida Paulista. E ventava. Como tinha um tempinho, resolvi entrar numa igreja que tem do lado esquerdo da rua, bem perto da famosa balada noturna "Louca". Tem de tudo na Frei Caneca.

Entrei pra passar a chuva, peguei meu caderno, tava meio escuro lá. Ninguém dentro. Fiquei olhando e procurando um recorte ali no meio daquela nave cheia de informações e resolvi focar no alto da parede principal da igreja. Fiquei uns 40 minutos. Acho que o resultado não é dos melhores, mas enfim valeu pela experiência e por matar a vontade de estrear aqui postando um sketch.

30.8.11

Conheça os correspondentes: SÃO PAULO - SP < Eloar Guazzelli

Meu nome não é muito comum – Eloar - e para não complicar a vida eu assino com meu sobrenome italiano, Guazzelli. Mas pensando bem a história do meu nome não é importante eu quero mesmo falar que nasci numa cidade lá do planalto gaucho chamada Vacaria, que além do nome engraçado tem uma coisa que me orgulha muito: vira e mexe quando o inverno é pra valer, cai neve por lá. Na maioria das vezes meio fraquinha, mas já aconteceu de nevar forte a ponto de ficar tudo branco: arvores, casas, cercas...Talvez por isso eu goste tanto de desenhar esse tipo de paisagem, meio deslocada num “pais tropical”. Sou um desenhista compulsivo, até onde a memória alcança lá estou eu fazendo rabiscos (a única diferença que as férias me trazem é a ausência de compromisso, eu desenho praticamente todos os dias). Minhas fotografias de viagem estão nos meus blocos: La Paz, Buenos Aires, Paris, Florianópolis ou Brás, não faço distinção, se tiver um tempo mínimo que seja já sai um registro. Radicado em São Paulo desde 1999 (onde atuo como diretor de arte para animação e ilustrador) levei ao extremo essas minhas habilidades: por conta do caos no trânsito passei a desenhar no carro. E com imensa alegria descobri que minha filha mais velha, do alto dos seus seis anos de idade herdou a compulsão do pai.

Conheça o blog do Guazzeli!

Caranguejo Aranha

Ontem pela manhã fui caminhar e os biólogos que dão aula aqui na praia já coletavam os animais.
Sempre dou uma parada para ver e me surpreender com a diversidade da poluída Baia de Guanabara.
E desta vez conheci o caranguejo aranha! Tinha muito para fazer, mas não resisti. Voltei em casa peguei o bloco e fui ao encontro do Caranguejo. O "Ed" , Edimar, sempre muito gentil colocou meu novo amigo em um pote e ai...foi desenhar!

Fiquei impressionado com a mobilidade das articulações das pinças, que alias são Violeta.
Agradeço ao Ed, Paulo Silveira e ao Diogo por permitir o desenho. Eles desenvolvem uma aula fantástica para a criançada das escolas sobre a vida marinha, aqui na praia da Urca.

Abraços!



29.8.11

Praça Buenos Aires - São Paulo


Olá Pessoal!
Esse é um desenho de uma estátua localizada na praça praça Buenos Aires em São Paulo, no Bairro do Higienópolis. (o escultor- Caetano Fracarolli)O dia estava muito frio, tudo vazio, o que contribuiu para dar um ar de solidão para a cena!
Usei lápis para identificar os pontos de fuga e as linhas gerais. Logo depois nanquim 0.1
para fazer as silhuetas e depois usei marcadores para colorir.

Abraços, Hugo


Praça Aureliano de Gusmão - 7 de setembro

Olá caros Brasil Urban Sketchers! É com muito prazer que inicio minhas postagens!Este estudo foi realizado neste último domingo, dia 28/08, na Praça Aureliano de Gusmão, mais conhecida como Praça Sete de Setembro aqui em Ribeirão Preto - SP. Esta é uma praça muito tranqüila e arborizada, todos os finais de semana temos trenzinho que sai para passear com as crianças, no sábado temos algumas barracas com venda artesanato e aos domingos temos artistas regionais com suas telas e pinturas em exposição. Temos um clima muito agradável para uma boa manhã de domingo acompanhado de meu sketchbook =:P.O tempo estava fantástico, céu azul e temperatura não muito alta, pois em Ribeirão Preto para quem não conhece a temperatura esta sempre em torno de 30º C - 35º C... bem quente e abafado.
Bem, iniciei diretamente com uma caneta Unipin Mitsubish 0,2mm... depois uma leve aguada com aquarela para poder dar uma melhor atmosfera. Não marquei o tempo gasto, mas acredito que foi em torno de 1h00.

Bem, que venham muitos e muitos post’s pela frente!

Um abraço a todos!



28.8.11

Avenida Beira Mar

Olá! Com enorme satisfação estou iniciando minhas postagens aqui no Urban Sketchers Brasil. No final de semana no qual fui convidado a participar do grupo brasileiro tratei logo de arranjar um tema para fazer minha primeira postagem no blog. Desta forma, aproveitei que íamos, eu e minha esposa, cumprir uma tarefa do nosso escritório e levei minha Moleskine para a avenida Beira Mar onde consegui fazer dois desenhos.

O primeiro mostra o Náutico Atlético Cearense, tradicional clube de nossa capital cujo projeto é do arquiteto húngaro Emilio Hinko. É importante observar que o desenho mostra uma parte do edifício voltada para a praia que não é do projeto original embora tente preservar suas características.

O segundo desenho mostra dois edifícios que fazem parte do paredão de nossa orla que, lamentavelmente, foi tomada pela especulação imobiliário ao longo das últimas décadas. Bom, questões urbanas a parte, o projeto do edifício Granville, mostrado em segundo plano, é muito interessante e acabou virando um espécie de referência por aqui. É de autoria do arquiteto Acácio Gil Borsoi. Gostei bastante do resultado do primeiro desenho que ficou bem solto e bem composto, mas não do segundo. Acho que deveria ter forçado mais a perspectiva e dado mais dramaticidade ao topo dos prédios.


27.8.11

Canoa Polinésia na Urca

Fiquei um tempo pensando na celebre primeira postagem.
Hoje ao abrir a janela, o pessoal preparava uma competição de Canoa polinésia.
É isso!  Afinal também estou colocando minha canoa nas aguás do Urban sketcher.
A competição é uma corrida de aproximadamente 14 km pelo que pude apurar com o Flávio, vizinho remador. E a concentração da prova aqui na praia da Urca.
Para quem se interesar  RIO Va'a
Abraços!!!








26.8.11

Conheça os correspondentes: RIO DE JANEIRO - RJ < Rafael Fonseca

Rafael Fonseca, Rio de Janeiro, Brasil. Carioca, arquiteto, professor, cenógrafo e ilustrador. Constantemente atarefado diante dos computadores e cadernos de desenho. Formei-me arquiteto e hoje sou professor de desenho da FAU-UFRJ, onde também tento concluir minha tese de doutorado.
Ultimamente tenho trabalhado muito com ilustrações de arquitetura e de livros, atividades que adoro fazer. Também não largo os meus projetos pessoais, como meus cadernos de croquis, minhas derivas urbanas com fins "desenhísticos", meu blog, minhas pinturas, aquarelas e projetos arquitetônicos utópicos. Faço o que faço pois isso traz um senso de significado muito grande para a minha vida e, por sorte, me pagam para fazer essas coisas. Os desenhos não têm importância em si, mas sim os lugares onde eles me levam. O foco é sempre no meu auto crescimento, na construção diária da minha essência, formada pelo acúmulo das minhas experiências. Quando estou no mar, sempre procuro me manter aonde não dá pé. É preciso transver o mundo através da imaginação, como dizia o poeta Manoel de Barros.
Além disso sou devoto do Cordão do Boitatá, passageiro da Orquestra Voadora, amante do Maracanã em dias de Fla x Flu. Nas horas vagas, flerto com o chorinho, a dança de salão e com a corrida de aventura. Viciado nos amigos, em desenhar; freqüentar livrarias, cinemas, museus e gafieiras; ouvir e tocar música; andar de bike, mergulhar no mar e na peladinha de terça.

Conheço o blog do Rafael Fonseca.

Conheça os correspondentes: RIBEIRÃO PRETO - SP < Beto Candia

Não consigo me imaginar de forma alguma minha vida sem a ilustração, sem a arte e principalmente, sem o hábito da prática do sketch. Vejo o sketch como uma ferramenta poderosíssima para todos os artistas; independentemente da especialidade escolhida como animação, ilustrações, comics e arquitetura por exemplo.
O sketchbook vai muito além de uma coleção de desenhos, ele representa o dia a dia do artista, pessoas a seu redor, cidades, países, monumentos etc. Enfim representa toda uma vida!
Hoje, com 25 anos de profissão, onde pude durante todo este tempo ter a oportunidade de participar e realizar projetos desde grafites artísticos, ilustração para livros infantis, animações para comerciais para TV, muitos projetos ligados para web como games e HQ’s, mas, nada me deixa mais entusiasmado e fascinado do que estar com meu sketchbook praticando. Quem é adepto do sketch sabe que nunca se está sozinho quando vc está com uma página em branco e uma caneta nas mãos.
Espero compartilhar um pouco deste meu dia a dia, das pessoas ao meu redor e juntos trocarmos nossas experiências e continuarmos em pleno crescimento artístico!
Conheça o trabalho de Beto Candia, em seu blog e seu projeto educacional
---
I can’t imagine myself and my life without illustration, fine art and mainly not having the habit of sketching! I feel tat having a sketchbook handy is a powerful tool for all kinds of artists regardless their expertise, whether they are  illustrators, animators, comix and architects, for example.
The artist sketchbook goes beyond a collection of drawings, it represents the artists' everyday life, the people around him, cities, countries, monuments, etc. It represents the whole life of the artist.
Today, after 25 years working as an artist, having had the opportunity to develop projects like graffiti, animations for TV, books for children, web games and comix, nothing makes me more excited and fascinated than practicing on my sketchbook! Those who are sketchbook fans know that you are never alone as long as you have a blank page and pen in hand.
I hope to share some of my routine and the people around me, and together we can exchange experience and continue to fully grow!

24.8.11

Conheça os correspondentes: SÃO PAULO - SP < Montalvo Machado


"Sou ilustrador em São Paulo, Brasil, e meus clientes principais são agências de publicidade, promoções, design e produtoras.
Eu costumo dizer que se eu tivesse optado por outra profissão, em algum momento da minha vida eu ficaria tentado a me tornar ilustrador É uma profissão fascinante e a paixão que sinto pelo desenho é a mesma, ou até maior do que a que eu sentia no início da carreira, ou da minha infância, desenhando nos cadernos de escola.
No entanto, a minha dedicação aos sketchbooks e desenhos de locação são bem mais recentes, e tomaram uma grande importância no meu cotidiano depois que eu fiz um workshop de encadernação com o ilustrador carioca Renato Alarcão em 2005. A partir daí eu nunca mais parei de fazer e desenhar nos meus cadernos, e isto foi uma experiência transformadora para mim, como artista.
Além de descobrir novas técnicas e exercitar um desenho mais gestual e descompromissado, esta prática me aproximou dos amigos que também desenham, e hoje temos uma comunidade bastante unida em torno de um propósito em comum, desenhar em grupo. Participamos de dezenas de Sketchcrawls em São Paulo, o que nos incentivou a fazer outros encontros ilustrados como o SketchCopa, SketchSampa, sessões de modelo vivo e mais recentemente o SketchJazz, onde as pessoas se encontram em bares da cidade de São Paulo para se divertir, ouvir música e desenhar os músicos.
Os benefícios de se reunir com os amigos para desenhar coletivamente vão muito além da prática constante, e se refletem numa rede de contatos fora do estúdio, no mundo real, ao mesmo tempo em que se formam comunidades online com os mesmos ideais, gerando uma troca de ideias, técnicas e influências que beneficiam a todos.
Estou muito entusiasmado em participar do Urban Sketchers Brasil, porque eu já tinha planos de me juntar ao grupo internacional, que conheço há bastante tempo através do site.

"I'm an illustrator in São Paulo, Brazil, and my main clients are advertising, promotion and design agencies, as well as video producers.
I use to say that if I had chosen another career, sometime along the way I'd be tempted to become an illustrator. It is a fascinating profession and the passion I have for drawing is still the same, maybe greater than what I had in my first steps into this business, or back in my childhood, drawing on the back pages of school notebooks.
But my dedication to sketchbooks and location drawing are far more recent, and took an important role on my daily routine after a workshop I attended in 2005, presented by Renato Alarcão, an illustrator from Rio de Janeiro. From then on I never stopped making sketchbooks and doodling on them, ant that was a big turning point for me as an artist.
Besides discovering new techniques and practicing a more gestural and uncompromised drawing, this habit brought together other friends that also like to draw, and today we have a very steady community around a common purpose: group drawing. We've attended Sketchcrawls dozens of times in São Paulo, which encouraged us to meet again in other illustrated gatherings, such as SketchCopa, SketchSampa, live model drawing sessions, and more recently on SketchJazz, where people meet in jazz clubs in São Paulo to enjoy music, have fun and draw the musicians.
The benefits os bringing friends together to group drawing go beyond the constant practice, and estabilish a network of friends outside the studio, in the real world, and build online communities as well, all sharing the same goals, exchanging ideas, techniques and influences, to everyone's benefit.
I'm very pleased to join Urban Sketchers Brazil, because I've always wanted to be a part of the international Urban Sketchers, which I've been following for quite some time in the website."

Conheça o trabalho do Montalvo Machado.

Conheça os correspondentes: SÃO PAULO - SP < Hugo Paiva

"Olá! Eu me chamo Hugo Alves Paiva, atualmente estudo arquitetura em minha cidade, São Paulo.
Desenhar a cidade faz com que você tenha uma relação muito intensa com os lugares retratados, pois
temos que prestar atenção em cada detalhe do edifício para julgarmos o que vamos registrar ou não.

O mais divertido é tomar chuva, sol, ou mesmo conversar com as mais inusitadas pessoas que passam pela rua e
te perguntam o que está fazendo. E depois de tudo, pensar se o material ou a técnica utilizada foi a melhor escolha, ou mesmo se perguntar o porquê de ter resolvido desenhar determinado lugar. Enfim, é um processo que te envolve todo o tempo.

Por isso fico muito agradecido por participar do Urban Sketchers, pois agora tenho mais uma razão para espalhar meus marcadores por aí.

Estou ansioso para ver os trabalhos!"

Abraço a todos,
Hugo

Conheça o trabalho do Hugo Paiva, clicando aqui.

Conheça os correspondentes: RIO DE JANEIRO - RJ < Ivonesyo Ramos

Meu nome é Ivonesyo Ramos tenho 38 anos, nasci no Rio de janeiro.
Sou aquarelista, arquiteto e ilustrador. A prática do desenho ao vivo tornou-se habitual com a faculdade de arquitetura em 1999 e os cadernos de observação ganharam força ao viajar em 2001. Na volta passei a viajar permanentemente. E tudo virou desculpa para uma aquarela, que carrego inclusive nos casamentos de amigos!
Até a escolha de onde moro pesou também a possibilidade da paisagem.

Participar do Urban Sketchers Brasil, aumenta a lista das boas desculpas para desenhar!!!!
E ainda poder conhecer a riqueza brasileira que virá!
Agradeço o convite dos pioneiros brasileiros Eduardo, João e Juliana. Especial menção ao Gabriel Campanário, pelo belo trabalho que iniciou.
Abraços!!!!

Conheça o trabalho do Ivonesyo Ramos.

22.8.11

Conheça os correspondentes: FORTALEZA - CE < Marcos Bandeira

"Se em 1991 alguém me perguntasse por que eu iria fazer o vestibular para arquitetura eu responderia de maneira bastante simples: eu gosto de desenhar. Acho que ainda hoje, depois de todo esse tempo, eu daria a mesma resposta. Percebo hoje que isso acabou repercutindo nas minhas preferências e escolhas ao longo de minha carreira. Durante a graduação acabei me dedicando bastante às disciplinas de desenho e projeto. Nos estágios acabei também dando bastante atenção ao
aprendizado de técnicas de desenho tanto eletrônicas quanto manuais. Comecei a ensinar desenho quando ainda era estudante de arquitetura e essa prática continua presente até os dias de hoje. Apesar da presença cada vez mais constante das ferramentas digitais eu sempre fiz e ainda faço questão de iniciar qualquer projeto pelo desenho de vários croquis. Antes a maior parte da minha produção gráfica se dava no estudo de meus projetos, mas quando conheci, em 2009, o Urban Sketchers, isso mudou completamente. Hoje, paralelamente aos desenhos que produzo em minhas atividades acadêmicas e do escritório, exercito o desenhar dentro da filosofia desse grupo o que tem sido uma atividade cada mais rica e prazerosa."

Conheça o site de Marcos Bandeira.


Conheça os correspondentes: SÃO PAULO - SP < Mazé Leite

 

Mazé Leite – artista plástica

“Eu desenho desde que me entendo por gente. Desenhar sempre foi necessidade: de vida, de trabalho, de existir mesmo. Acho mágico o fato de uma mão humana poder traçar linhas, manchas, formas que vão expressando sua visão do mundo; e, além de tudo, cria um diálogo com as outras pessoas, porque o desenho – assim como a arte – tem esse dom de aproximar os seres humanos. É bom desenhar!

Tem momentos e tem alguns lugares que “pedem” um desenho! Por isso, além de pintar, não desejo jamais abandonar os traços feitos pela minha mão, seja com lápis, caneta, nanquin, ou qualquer outra ferramenta que sirva no momento. Por isso participar do Urban Sketchers Brasil é muito importante, pois vai me manter ligada ainda mais no desenho de locação e vai me ligar a todos os outros que também vivem pelo mundo com lápis e papel na mão...

 Uma vida muito longa aos Urban Sketchers de todo o mundo e do Brasil!”
Conheça o blog da Mazé Leite.

18.8.11

Benvindos ao Urban Sketchers Brasil!

O nosso primeiro encontro se deu no dia 14 de Agosto, domingo, dia dos pais, numa manhã cinzenta. Mas nós nem nos demos conta do cinza, só o que queríamos era nos encontrar para alavancar de vez o Urban Sketchers Brasil (ufa). Nada melhor do que conversarmos sobre isso desenhando e foi isso que nós fizemos. Finalmente, depois de uma longa espera, inauguramos esse site com esta primeira postagem, falando do nosso primeiro encontro.
Naquele dia éramos três, mas até o final do ano, quem sabe, seremos cem!
O Brasil, com sua proporção continental, incrível variedade cultural, étnica, além de uma rica história artística, que apesar de curta, já tem artistas conhecidos mundialmente e tantas outras coisas extraordinárias, nossa música, por exemplo, tem tudo para ser uma vitrine rica e variada de desenhistas ímpares. Desculpem o tom excitado, mas já estou imaginando os desenhos que aparecerão aqui todos os dias, do Oiapoque ao Chuí, mal posso esperar.
Marcamos de nos encontrar na estação Paraíso do metrô. Não conhecia a Juliana Russo pessoalmente, foi um prazer, o Eduardo eu conhecia, tivemos a oportunidade de nos encontrarmos no mês passado no II Simpósio Internacional Urban Sketchers em Lisboa. Foi lá, inclusive, que conversamos com o Gabriel Campanário, idealizador e organizador do Urban Sketcher, sobre a filial (se é que podemos chamar assim) brasileira. Ele nos deu conselhos fundamentais para começar o site e disse que logo disponibilizaria o site para começarmos. Só não esperávamos que fosse tão rápido. Valeu, Gabi!
Tomamos um café rápido e fomos desenhar em frente à catedral ortodoxa do Paraíso. Conversamos e rabiscamos e pelo resultado: Três desenhos completamente diferentes feitos no mesmo local, três pessoas, três vidas, três maneiras de ver o mundo, tudo expresso de alguma maneira no traço de cada um, já podemos imaginar o que será esse site quando reunirmos todos correspondentes.
O principal objetivo do site é integrar artistas que fazem desenhos de cenas urbanas, em suas respectivas cidades, ao redor do Brasil e principalmente incentivar a prática do desenho
É isso, o site está aberto. Desenhistas brasileiros, retratistas obsessivos do cotidiano juntem-se a nós nessa empreitada, saiam já com seus cadernos, invadam todos as ruas desse imenso Brasil, temos muito trabalho pela frente, muito o que retratar.
Abração.