NOVO! Faça agora sua inscrição para o Simpósio - USk Paraty 2014!
Mostrando postagens com marcador Daniloz. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Daniloz. Mostrar todas as postagens

6.5.14

Bancada do Banheiro - Desenhos Domésticos V

Depois de mais de uma ano sem postar por aqui, um desenho da bancada do banheiro, estilo doméstico, feito com grafite 5B no Moleskinão 42 x 30 cm.

6.1.13

Copaíba

Sei que andei muito relapso no final de 2012, fiquei meses sem postar aqui. Mas foram meses em que praticamente não fiz nenhum desenho de observação. Resolvi resgatar este hábito este ano e fiz este desenho na virada, num cadernão que meu irmão me deu de natal. O desenho foi feito com canetinhas de nanquim 0.6 e 0.1 no papel de algodão. O desenho tem 50 x 35 cm. Sei que não é propriamente um 'urban sketch' mas acho que cumpre um pouco a proposta do site.

1.6.12

Obra na Rua Wisard (22º)

Consegui fazer mais um desenho da obra só depois de 40 dias do anterior, as diferenças são brutais e perdi um pouco da narrativa, mas logo mais recupero o ritmo.

11.4.12

Dos desenhos em série (20º)


Está sendo interessante colocar este ritmo de trabalho, enche o saco às vezes e um sempre sai melhor que outro, mas no geral a coisa anda de um jeito muito bacana. Este é o 20º desenho que faço desta mesma obra vista desta mesma varanda. Daqui a pouco meu spot não cabe mais no caderno, vou ter que dar uma girada ou adaptar um pouco o formato, ainda não sei. São trabalhos de persistência que vão dando frutos ao longo de um tempo maior; talvez eu me arrependa de fazer neste caderno, quem sabe com uma caneta mais fina eu conseguisse ser mais fiel nos detalhes, talvez eu devesse colorir, aquarelar, mais rabisco, linha mais firme. Existem mil possibilidades e no fim escolhi seguir num mesmo raciocínio que desse a sequência de desenvolvimento da obra (o aprimoramento da técnica é impossível controlar, mas acontece continuamente, vamos pegando a manha do papel, da caneta, a ordem de começar, terminar, etc) e também não me fizesse pensar toda santa vez no trabalho de levar a cabo um desenho complicadíssimo, estas coisas têm que ser simples, do mesmo modo que fiz no primeiro desenho, da origem de tudo, responsável por começar toda esta história. Abaixo deixo o desenho anterior para mantermos a comparação.

26.3.12

19º


Hoje deu tempo de fazer mais um desenho, o 19º. A obra avançou bem, está um novo paliteiro para fazer o escoramento da nova laje enorme, a primeira do prédio propriamente dito, que começa lá em cima. Abaixo o desenho anterior. Quem quiser checar os desenhos anteriores, estão aqui.

9.3.12

17º

Esta semana apareceram estes três grandes pilares em primeiro plano que devem trespassar a altura do mezanino (que é esta laje mais alta que estão quase a ponto de concretar) e entrar de novo no prédio nas lajes maiores acima. Este é o 17º desenho, abaixo o anterior, de quase uma semana atrás.

3.3.12

A Laje que era Menor



Sexta-feira eles já estavam montando as formas para a laje seguinte, imagino que deva ser a do primeiro andar, já que é menor que as anteriores e não encosta mais nos muros laterais. Dá para começar a imaginar o tamanho do prédio agora. Este é o 16º desenho, abaixo o anterior, da quinta-feira.


1.3.12

A segunda Laje está pronta


Hoje fiz o 15º desenho da obra. Como tinha dito, segunda mesmo, dia do desenho anterior (abaixo), eles concretaram a laje, então nestes dias já começaram a subir os andaimes e montar na laje recém-concretada. O desenho fiz de manhã cedo, no fim da tarde já estava armado boa parte do paliteiro. Acho que amanhã faço mais um desenho, a coisa está decolando agora.









29.2.12

Tamanduateí 16/30

 Neste desenho, o 16º, finalmente aboli a linha à caneta no meio do processo. A partir dai passei a gostar muito mais dos desenhos.

28.2.12

As fôrmas da segunda laje

Ontem de manhã fiz mais um desenho da obra. As coisas andaram um pouco corridas então já fazia um tempinho, 20 dias, desde o último, e eu estava bastante aflito de perder as formas montadas sobre o paliteiro do desenho anterior. Dito e feito, mal eu terminei o desenho, na própria segunda-feira, as betoneiras chegaram e começaram a concretagem, e isso significa que esta semana devo fazer mais um desenho já, da laje lisinha. Resolvi postar sempre 3 desenhos quando forem da obra, o recente e os dois anteriores, assim é mais fácil ter a noção da continuidade, basta ver as datas. Este é o 14º.




20.2.12

Eram 3 casinhas

Na verdade eram 4. Cinco se contarmos mais uns anexos e os banheiros externos. Diziam, quando eu era pequeno, que nestas casinhas moraram escravos. Ninguém nunca acreditou nestas histórias mas também não desmentiu por completo. O que acontece é que elas são velhas e parecem respirar há tempo bastante para dar às pessoas este tipo de idéias.

8.2.12

O grande paliteiro

O canteiro da obra virou um show de andaimes agora, com as formas dos pilares montadas e as cabeleiras de ferro saindo para cima.

30.1.12

Nova Gokula

Não sei se este desenho se encaixa exatamente no que se entende por 'urban sketchers', já que foi feito numa fazenda (Nova Gokula, comunidade Hare Krishna em Pindamonhangaba). Por outro lado, o espírito de sentar e desenhar o que estava vendo tentando pegar o clima do lugar está ai, então é um post que, me parece, cabe no site. O desenho foi feito naquele moleskinão 594 x 210 mm.

26.1.12

As dragas do rio Pinheiros


Nesta quarta, dia 25, fiz com o meu irmão um passeio organizado pelo Paulo Von Poser que saiu do Mube, onde acontece até domingo a exposição retrospectiva de 30 anos de exposições dele, indo pela ciclovia da marginal Pinheiros até o shopping Sp Market para a inauguração de um novo painel na praça de alimentação. A idéia era desenharmos pelo caminho, mas no fim paramos apenas esta vez, logo na entrada da ciclovia na cidade jardim, logo depois da usina de traição. Não tive tanto tempo quanto gostaria, acho que todos vocês sabem quanto prazer dá desenhar maquinário pesado e complexo, nem uma posição confortável o bastante debaixo do sol das 14h sentado no talude fedorento do rio, o vento levantando as páginas do caderno também. O interessante foi desenhar de perto estas barcas que já tinha desenhado bem mais de longe ano passado, num contexto completamente diferente. Ainda assim, a experiência de desenhar os rios, quaisquer e onde estejam, é das minhas coisas preferidas.