19.1.15

Duas manhãs, dois temas, dois locais do subúrbio carioca

14/01/15 - Rio de Janeiro, sensação térmica recorde de 48º. Apesar do calor, vesti uma roupa leve,  juntei meu material e segui ao mesmo tempo motivada e nervosa para a Tijuca. O motivo? Fui convidada pela minha mãe e sua equipe de professores a participar da gravação de um Interprograma para o Canal Futura. 
O tema abordado era o Tempo: a correria do dia a dia e a falta de tempo para o lazer, e como contraponto, pessoas que conseguem tempo para seus hobbies. Eu falei sobre meu hobby: o desenho de observação, sobre o Urban Sketchers, de como arrumo tempo para desenhar, e principalmente, como esse tempo é extremamente necessário. O documentário tem apenas 2 minutos, então somente uma fala de minha entrevista foi incorporada, mas acredito que foi a essencial e eu a transcrevo aqui: "O meu hobby é o desenho de locação e de observação. Desenhar é minha vida. É o que me identifico. Eu me sinto bem. É um momento de reflexão comigo mesma. Quando eu estou desenhando eu me desligo do resto, eu me concentro: é só eu, o que estou desenhando, o caderno e nada mais".
Por muito tempo eu me privei de fazer o que amo, pois interpretava como lazer, como algo não-tão-importante. E ficava sempre triste, e sempre pensando, como queria desenhar esse lugar! E as coisas em teoria muito-importantes pesavam nos meus ombros, me fazendo infeliz. Eu não era eu. Hoje eu criei o tempo para desenhar, fazendo com que virasse um compromisso, uma obrigação.
 A cada quinze dias eu tenho um compromisso comigo: acordar de manhã, juntar meu material, e desenhar a cidade mais maravilhosa do meu coração.

Aquarela realizada durante a gravação do documentário, na Praça Saens Peña, Tijuca


                                           






17/01/15 - 5º Encontro de Urban Sketchers Rio, na CADEG, Benfica.


"O Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara é um gigantesco centro de abastecimento, com 100.000 m² de área construída e mais de 700 empresas instaladas. Além da comercialização de produtos no atacado, o CADEG oferece boas opções de diversão, com bares e restaurantes que tem atraído cada vez mais visitantes. De origens fortemente portuguesas, os bolinhos de bacalhau são muito procurados e o cartão postal é o Mercado de Flores."

Primeiro encontro de 2015. Sol. Muito Sol. Confesso que apesar de saber que poucos viriam por causa das férias, eu esperava formar um grupo de 4 a 6 Sketchers. Fiquei decepcionada, compareceram apenas eu e minha irmã (13 anos, aprendiz de Urban Sketchers). A CADEG é um grande mercado, com muitas cores e muitos personagens. O mercado das flores, apesar de ser em um galpão, é belíssimo, vende diversos tipos de flores, folhas e vasos. E tudo com ótimo preço. Todos foram muito simpáticos e estavam muito animados ao nos verem desenhar. Ganhamos inclusive uma caixa de Lichia de presente. É uma pena, fico realmente entristecida que esse nosso grupo, que tem tanto potencial, não o aproveite. Espero que daqui a 15 dias compareçam mais pessoas...
 
Aquarela retratando o Folha Flor Plantas, Mercado de Flores da CADEG, Benfica.

6.1.15

Sobre minha atuação no USk Brasil

Gostaria de fazer um comunicado a todos. Estou deixando a coordenação geral do Urban Sketchers Brasil, depois de cerca de três anos e meio de dedicação.
Tudo começou em 2011, depois de uma conversa com o fundador do grupo internacional, Gabi Campanario, durante o simpósio de Lisboa.
Alguns motivos me levaram a tomar essa decisão. O primeiro deles é a falta de tempo e energia para liderar um processo de estruturação, necessário neste momento de grande expansão nacional e global (o número de participantes não para de crescer!). Eu cheguei a realizar um plano para essa estruturação, mas não tive disposição para colocá-lo em prática, infelizmente.
Outro motivo, e o talvez o principal deles, diz respeito a proteger meu amor pelo desenho de locação – aquilo que começou despretensiosamente se tornou um trabalho constante. Preciso voltar a relaxar e curtir novamente essa atividade, agora como participante.

Acredito que o 5º Simpósio Internacional de Paraty foi uma grandiosa realização, que certamente fortaleceu o grupo no Brasil, e que deixará ótimas recordações em todas as 250 pessoas que participaram. Mas foi preciso 01 ano de trabalho intenso para concretizá-lo.
Além do simpósio, foram realizados cerca de 50 encontros em São Paulo, incluindo os Sketchcrawls. Em outra frente, já foram oficializados mais de 30 correspondentes brasileiros neste blog do Usk Brasil. Acho que minha maior contribuição, entretanto, foi na divulgação: nas faculdades, em minhas aulas, em meu blog, Facebook, reportagens, etc.

Estou satisfeito com o que deu pra fazer nesses anos.

É claro, tudo isso foi feito através de valiosas parcerias! Agradeço a todos que contribuíram no passado, e ainda contribuem, para o sucesso do grupo: aos co-fundadores João Pinheiro e Ju Russo. A Fernanda Campos, dedicada ‘sócia’ na organização do simpósio e também na organização do blog e do USK SP, e todos os demais entusiasmados administradores regionais.
Dito isso, O Urban Sketchers teria chegado e se disseminado no Brasil pelas minhas/nossas mãos ou não! Porque esse grupo é fantástico! Desenhar nossa cidade é apaixonante!


Acredito que o grupo no Brasil precisa, a partir de agora, formar um comitê coordenador. Dessa forma, o trabalho - que todos sabemos ser voluntário - poderá ser dividido. Também é importante que, dentre esse comitê, haja uma liderança. Essa liderança é importante para minimizar possíveis atritos. E, acima de tudo, é preciso ter entusiasmo, amor e respeito ao Urban Sketchers e seu Manifesto. Sempre digo que o Manifesto é o alicerce que estruturou e sustenta um grupo que atinge a casa de 100.000 participantes no mundo todo. Eu continuarei a defendê-lo, mesmo à distância.

Bem, quero me colocar à disposição para passar adiante todo o material que tenho arquivado sobre o USk Brasil. Fiz também uma postagem  com meu plano de estruturação do grupo, caso queiram levá-lo adiante.
Assim que formada essa nova liderança nacional, farei a ponte com grupo de administradores internacional, e quem estiver nessa terá a oportunidade de acompanhar de perto quanta gente apaixonada e incomparavelmente dedicada há ‘nos bastidores’.
Quem quiser e puder fazer esse trabalho aprenderá muito, posso garantir.

Enfim, ainda tocarei o barco em São Paulo por um tempinho, até que apareça alguém para coordenar os encontros por aqui.

Obrigado a todos e vamos em frente.

Vida longa ao Urban Sketchers Brasil!

Abraços,
Eduardo Bajzek

Plano de Estruturação e Metas para o Urban Sketchers Brasil

Olá a todos,
Estou compartilhando com todos vocês um PLANO DE ESTRUTURAÇÃO E METAS que realizei há algum tempo.
Esse plano poderá ou não ser utilizado pelo(s) futuro(s) coordenador(es), seguindo critérios próprios. De qualquer maneira, seu formato foi inspirado (e inclusive discutido), com administradores internacionais.

Vou primeiramente apresentar os atuais administradores regionais.

Urban Sketchers Brasil | Belo Horizonte
Administrador: Marcia Franco
marciafranco81@yahoo.com.br

Urban Sketchers Brasil | Fortaleza
Administradores: Marcos Bandeira / Lucas Forte
arquitetura@marcosbandeira.com
lucasforte.arq@gmail.com

Urban Sketchers Brasil |Goiânia
Administrador: Fernando Simon
fernandosimon.arq@gmail.com

Urban Sketchers Brasil |Natal
Administrador: Rafael Oliveira
rafaelolifer@gmail.com

Urban Sketchers Brasil |Salvador
Administrador: André Lissonger
lissonger@gmail.com

Urban Sketchers São Luís / MA
Administrador: Regina Borba
borbaregina5@gmail.com

Urban Sketchers Rio de Janeiro / RJ
Administrador: Thais Lima Machado Menezes
thaislmachado@gmail.com

Urban Sketchers Brasil |São Paulo
Administrador: Eduardo Bajzek
edubajzek@gmail.com

Adiciono a essa lista também nossos colegas de Curitiba:

Croquis Urbanos Curitiba
Administrador: José Marconi
marconi2006@gmail.com

Vale salientar que o grupo Croquis Urbanos Curitiba, apesar de não levar a marca Urban Sketchers, tem participação ativa e intima ligação ao grupo (a seus participantes e ideais), inclusive com alguns Correspondentes Oficiais.

Há ainda outros grupos que já estão formados e atuando, como em Paraty, Brasilia, Santos, etc.

Aproveito para agradecer a iniciativa desses administradores, disseminando a prática do desenho de locação, Brasil afora. Muitos desses grupos já são antigos, e tem feito um ótimo trabalho. Outros são mais novos, mas com grandes chances de caminharem a passos largos.

Agora, gostaria de apresentar algumas diretrizes / idéias entre este grupo:

ADMINISTRAÇÃO DE GRUPOS ON-LINE (FACEBOOK)

É preciso, em primeiro lugar, que seja mantido o atendimento do Manifesto do Urban Sketchers, criado pelo fundador Gabi Campanario, que todos já devem conhecer, mas coloco aqui novamente:
  1. Nós fazemos desenhos de locação, através da observação direta, seja em ambientes externos ou internos.
  2. Nossos desenhos contam histórias do dia a dia, dos lugares em que vivemos, e para onde viajamos.
  3. Nossos desenhos são um registro do tempo e do lugar.
  4. Nós somos fiéis às cenas que estamos retratando.
  5. Nós utilizamos qualquer tipo de técnica e valorizamos cada estilo individual.
  6. Nós nos apoiamos e desenhamos juntos.
  7. Nós compartilhamos nossos desenhos on-line.
  8. Nós mostramos o mundo, um desenho de cada vez.
Os administradores poderão atuar como moderadores destes grupos, inclusive on-line, comunicando possíveis desvios do Manifesto, excluindo propagandas, evitando desvios de assunto, etc. Não é um trabalho agradável de fazer, mas é importante para mantermos uma mesma linguagem e um mesmo, por assim dizer, discurso.
O Manifesto é forte e coerente, ao meu ponto de vista. É a raiz que fez com que o Urban Sketchers crescesse. Sem ele, esse seria mais um entre milhares de outros grupos de desenho.
Entretanto, o Manifesto, apesar de claro no geral, permite algumas lacunas...é o caso de desenho de natureza morta e algumas exceções que já apareceram por aí. No topo do grupo do UsK Brasil (no Facebook) há um texto bem explicativo que pode servir de modelo a todos. Fiquem a vontade para copiá-lo também.

Sugestões para moderação dos grupos:
Como recomendação pessoal, sugiro que excluam sem maiores preocupações, posts em que ficam claras as seguintes condições:
Autopromoção (no caso ‘da arte’ não ter nada a ver com nossa proposta);
Propagandas de qualquer tipo, mesmo aquelas relacionadas à arte;
Desenhos claramente feitos com base na imaginação (paisagens psicodélicas, monstros, etc).

ATRIBUIÇÕES DE UM ADMINISTRADOR REGIONAL
  • Realizar encontros periódicos;
  • Marcar encontros, criando flyers, eventos no facebook, divulgando resultados sempre que possível (um ótimo exemplo são as postagens do Fernando no blog do Urban, resumindo os encontros em Goiânia);
  • Buscar parceiros locais, para criação de eventos mais elaborados e dinâmicos. Como exemplo, cito os eventos realizados em São Paulo com o site São Paulo Antiga e no bairro da Mooca.
  • Viabilizar exposições pessoais ou coletivas (São Paulo precisa de uma urgentemente).

SOBRE A ESTRUTURAÇÃO DE GRUPOS REGIONAIS

Grupos já formalizados, estruturados ou em desenvolvimento (já são reconhecidos internacionalmente):
  • Liberado o logotipo do Usk internacional, desde que não haja alterações*;
  • Escrever Urban Sketchers Brasil | Nome da cidade, sempre que possível;
  • Em alguns casos, para resumir, poderá escrever Urban Sketchers _______ (nome da cidade);
  • Não usar o logotipo em oficinas ou eventos que envolvam remuneração;
*os grupos que já fizeram logotipos próprios, podem continuar a usá-los até que tenhamos essa questão resolvida, o que deve acontecer em breve.

Grupos novos ou em formação:
  • O uso do logotipo Usk internacional deverá ser feito com critério, sem alterações, e somente em eventos denominados “Encontro de Urban Sketchers”;
  • Em casos específicos, pedimos a gentileza de entrar em contato conosco sobre seu uso;
  • Não usar em oficinas ou eventos que envolvam remuneração;
  • Escrever Urban Sketchers Brasil | Nome da cidade, sempre que possível;

A ORGANIZAÇÃO DO URBAN SKETCHERS BRASIL


Após a realização do simpósio, quando mergulhei de vez na estrutura do Urban Sketchers internacional, percebi que estruturar melhor a organização é fundamental para o grupo crescer no Brasil.
Lanço aqui algumas idéias / diretrizes para que isso aconteça.

Assim, seria criada uma ‘COMISSÃO’, presidida por um líder nacional e dividida em algumas funções que seriam atributos de COORDENADORES:
  • Coordenador Editorial;
  • Coordenador de Comunicação;
  • Coordenador de Eventos;
  • Coordenador de Grupos;
Observações:
  • Os Coordenadores não precisam ser os próprios administradores regionais, necessariamente. Pode-se encontrar ótimos parceiros entre os grupo.
  • Os Coordenadores podem ter obviamente um assistente ou uma equipe de assistentes.

COORDENADOR EDITORIAL
  • Responsável pelo fortalecimento e expansão do blog, mantendo-o ativo e tentando atrair expectadores e novos autores para o mesmo;
  • Incentivar as postagens, na tentativa de ampliar nosso ‘acervo online’;
  • Acompanhar autores antigos e convidar novos autores – os chamados “Correspondentes Oficiais”;
  • Divulgar postagens no facebook;
  • Trazer notícias importantes provenientes dos fóruns de administradores como diretrizes de postagem, etc. Essas notícias seriam compartilhadas no Facebook e blog;
  • Criar conteúdo de interesse no blog, como entrevistas, resenhas de livros, etc.
  • Voltar a promover o Flickr, que ainda tem papel muito ativo no USk.
Obs.01: O blog ainda é uma plataforma importante, pois funciona como um grande arquivo de sketches (um acervo online) e uma lista oficial de correspondentes. Além disso, é uma janela para expectadores, e possíveis parceiros. Um blog bem estruturado pode funcionar como um hub de sketchers, uma matriz nacional. As pessoas ainda são encontradas na internet através de seus blogs, em mecanismos de busca. Quando coloco meu nome no Google, por exemplo, aparecem primeiro todos os blogs onde sou autor, depois o Facebook.
De fato, existe uma questão de como resolver a crescente disparidade entre blogs x facebook, apesar do que foi mencionado acima. Isso foi tema de uma longa discussão recentemente no grupo internacional. Os blogs têm recebido cada vez menos postagens / visitas – inclusive o blog principal do Usk Internacional.

Obs.02: Um dos atributos mais importantes dessa função é trazer novos correspondentes oficiais para o grupo, já que temos ótimos participantes ativos no facebook que poderiam contribuir no blog. É preciso, por outro lado, incrementar o papel do “correspondente oficial”, de forma a motivar ainda mais o pessoal. Além de ser um autor de postagens no blog, ele passaria a ter alguns benefícios como, por exemplo, poder participar de concursos de bolsas de estudo, receber premiações, ser convidado a fazer uma postagem exclusiva no blog internacional, etc...

COORDENADOR DE COMUNICAÇÃO
  • Estruturação e fortalecimento das marcas Urban Sketchers e Urban Sketchers Brasil, em mídias tradicionais e redes sociais;
  • Implantação de um logotipo para o Urban Sketchers Brasil (nacional);
  • Implantação de logotipos para os grupos regionais: Urban Sketchers Brasil | “Cidade”, através de um modelo de aplicação comum (ex.: Urban Sketchers Brasil|São Paulo, Urban Sketchers Brasil|Salvador, Urban Sketchers Brasil|São Luis, etc);
  • Manutenção e dinamização visual do blog e Facebook com freqüência mensal (em parceria direta com o Coordenador Editorial);
  • Implantação de um site do Urban Sketchers Brasil;
  • Implantação de fanpage no Facebook;
  • É necessário ter, obviamente, experiência em design e programas gráficos e se possível linguagem de internet;
Obs.: Já foram feitas, internacionalmente, algumas tentativas de se criar uma matriz de logotipo que sirva para todos os grupos regionais / nacionais. Eu mesmo apresentei há alguns meses uma proposta para isso. O que existe hoje é uma enorme diversidade de aplicação do logo oficial do grupo (algumas muito interessantes, outras nem tanto). Entretanto, existe um consenso geral de que é preciso estruturar a utilização do logo original, evitando que o mesmo seja usado, por assim dizer, ‘de qualquer maneira’.
Ainda em relação aos logotipos, é importante salientar que foi mencionado acima ‘implantação de logotipo’: dessa forma, significa que esse coordenador não criará (necessariamente) um logo nacional e logos regionais. Seu papel será implantá-los e estruturá-los, atuando como o veiculo para a realização de um concurso ou aplicação de um modelo caso este venha através de uma diretriz internacional (o mais provável que aconteça).
Além disso, ter experiência em design não significa que esse diretor irá criar o site, por exemplo. A experiência é necessária para que este direcione e gerencie os trabalhos, caso seja necessário contratar terceiros.

COORDENADOR DE EVENTOS

  • Fornecer informação para interessados em promover encontros locais e regionais;
  • Elaborar uma ‘cartilha’ de boas práticas, experiências e idéias para a realização de encontros;
  • Participar ativamente do Comitê organizador do 1º Simpósio (ou Encontro) Nacional de Urban Sketchers Brasil;
  • Ser o “Embaixador” do Simpósio Internacional no Brasil – trazendo informações, respondendo dúvidas, incentivando as pessoas a participarem;
  • Promover exposições;
  • Criar um modelo educacional para o grupo;
  • Curadoria de cursos, principalmente aqueles oficiais com a marca do Urban Sketchers;
  • Atrair, se possível, patrocinadores;

COORDENADOR DE GRUPOS
  • Incentivar e formalizar novos grupos. Para isso, esse diretor deverá ficar alerta e “antenado” com “embriões” de grupos, que aparecem por ai. A idéia básica é abrigá-los oficialmente ao USk Brasil;
  • Acompanhar de perto os grupos existentes, servindo de canal de comunicação entre eles;
  • Promover encontros regionais, colocando pessoas em contato, unindo cidades próximas;
  • Indicar, ao Coordenador Editorial, possíveis Correspondentes: para isso deve manter bom contato / relacionamento entre os administradores e atuar ativamente no blog e Facebook;
  • Criação de um email padrão, uma espécie de cartilha de conduta do grupo, enfatizando a adequação ao Manifesto, por exemplo;
André Lissonger, administrador do grupo em Salvador, já se prontificou a essa função.

DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO DO URBAN SKETCHERS BRASIL


Aqui vão algumas diretrizes divididas em uma linha de tempo:

Curto Prazo:
  • Aumentar o numero de administradores / moderadores do grupo principal no Facebook. Hoje temos Eduardo, Fernanda e Marconi. Acredito que seria bom que todos os administradores participassem, mas precisamos de pelo menos mais duas pessoas de imediato (nota: isso já foi realizado);
  • Criarmos um grupo de email para os administradores manterem contato, e um grupo de e-mail para todo e qualquer participante e correspondente oficial.
  • Definição de Simpósio Nacional: formato, local, data, formalizar o comitê;
Médio prazo:
  • Definição da COMISSÃO DO URBAN SKETCHERS BRASIL, com todos os COORDENADORES E ASSISTENTES;
  • Criação de um Estatuto (podendo utilizar esse documento como modelo);
  • Incrementar o blog;
  • Criar um site oficial;
  • Discutir a abertura de uma conta corrente, para criar um fundo para realização de eventos e contratação de terceiros, através de doações – como no grupo internacional. Caso isso aconteça será necessário um TESOUREIRO.
Longo Prazo
  • Promover Simpósios / Encontros Nacionais de Urban Sketching;
  • Publicação de um livro de abrangência nacional;
  • Exposição de abrangência nacional;
  • ...

SOBRE O 1º SIMPÓSIO / ENCONTRO NACIONAL BRASILEIRO DE URBAN SKETCHERS


Este é um tema à parte nessa presente intenção de ampliar a organização do grupo.
Seguindo o entusiasmo pós-simpósio de Paraty, foi levantada no Facebook a possibilidade concreta de realizarmos um simpósio nacional. Algumas questões já foram discutidas, como locais e datas.
É importante observar que os interessados deverão encabeçar as atividades relacionadas, ao menos localmente.

Após a criação de um COMITÊ é fundamental também elaborar, logo de inicio, um documento onde todas as responsabilidades serão claramente descritas, seguindo novamente o modelo internacional. Responsabilidades dos organizadores locais e responsabilidades dos demais membros do comitê.

É preciso ter muita dedicação e envolvimento para concretizar um evento desse porte e os interessados devem a principio, se voluntariar para tal empreitada. Mas “se voluntariar” não significa ‘garantir’ sua presença. Não custa enfatizar que é preciso “vestir a camisa” e muita gente empolgada se prontifica momentaneamente e depois desanima.

Só para adiantar o assunto, deverão ser discutidos dois formatos para este evento:

Encontro Brasileiro de Urban Sketchers: informal, sem atividades educacionais relacionadas ou outras que envolvam custos. Neste caso não é preciso ter inscrições antecipadas, ou uma sede oficial (como foi à Casa da Cultura).
Imagino apenas um ponto de encontro, inscrições no local (para um participante ter ao menos um crachá) e um roteiro bacana de sketchcrawls / drink’n’draw.
Neste formato, só é preciso definir uma cidade e marcar uma data, incentivando as pessoas a comparecer, deixando muito claro o que será oferecido.
Esse formato não exigiria obviamente um grande volume de trabalho. Mesmo assim, seria importante haver  um comitê para a discussão de detalhes.

1º Simpósio Brasileiro de Urban Sketchers: no mesmo formato dos simpósios internacionais. Aqueles que foram à Paraty puderam observar que há uma grande demanda de trabalho por um motivo principal: para termos atividades educacionais, é preciso cobrar inscrições e obter patrocínios. E quando se cobra por algo é preciso oferecer o melhor serviço, o melhor programa possível, convidar o melhor time de instrutores (e pagar pelos seus custos), além de termos uma sede oficial. É preciso ter um site para inscrições antecipadas, criar uma conta corrente, elaborar material gráfico, realizar um coquetel de encerramento, etc.
Enfim, é preciso nesse caso, um grande comprometimento de uma equipe forte, batalhadora e harmoniosa.
O trabalho é grande, mas o resultado é proporcional: fomentar e disseminar uma atividade artística, amadora ou profissional, compartilhar conhecimento, envolver as pessoas, criar laços de amizade e contatos profissionais, sensação de realização pessoal, são alguns exemplos que me ocorrem agora e que são parte da feliz contrapartida desse intenso trabalho.

De imediato, ouso dizer que acredito que um ‘Encontro Nacional’ não movimentaria fortemente o grupo, tal como seria um simpósio. Imagino que muitos não se deslocariam para outros estados ou deixariam suas atividades pessoais e profissionais para apenas se ‘encontrar com os amigos para desenhar’. Sem com isso desdenhar, claro, a riqueza que um encontro destes pode trazer a todos... Mas seria ‘for fun’. Posso estar redondamente enganado quanto a essa expectativa... Eu imaginava que, se atingíssemos 100 participantes no simpósio de Paraty, já seria um sucesso...tivemos 250!

Para fechar, esse documento deve servir como um guia para trocas de idéias.

É preciso que muitos colaborem para que cresçamos. O Urban Sketchers Brasil depende de todos.

Saudações,
Eduardo Bajzek

1.1.15

Férias em Santa Bárbara d'Oeste-SP

Durante as últimas semanas de dezembro estive em férias, que passei na casa dos meus pais, em Santa Bárbara d'Oeste. Nesse tempo procurei, através do desenho, redescobrir a cidade onde passei minha infância e adolescência. O olhar viciado, acostumado a procurar e  a encontrar tudo aquilo que penso saber da cidade, sempre me dizia  que nela não há nada de interessante. Aqui vão alguns dos registros dessa minha busca.

Esta é da parte mais antiga da cidade. Zona limítrofe, são as ruas finais da parte central. A declividade acentuada vem da proximidade com a várzea de um rio. A demolição de um muro nesta esquina revelou a intimidade até então escondida nesta edificação cujo uso não consigo identificar (uni ou multifamiliar?)


Seguindo caminhando à esquerda, esta mesma rua (João Batista Furlan) termina em uma curva que desce à Rua Inácio Antônio, que margeia a várzea. Olhando pra trás, vejo este interessante conjunto de casas. As entradas, acessos, a relação espaço público x privado são de uma inventividade tão grande que lamento não ter conseguido captar deste ângulo.


Avançando um pouco mais na periferia, me lembrei de registrar este encontro de duas avenidas que margeiam a ferrovia, sob a Rodovia Luiz de Queiroz. Só há espaço para um veículo por vez e, como a curva é extremamente acentuada, a visão é bloqueada pelo arrimo da ponte. Um semáforo controla a passagem dos veículos. Atravessar o sinal vermelho é correr o risco de uma batida frontal.



Colocar em evidência aquilo que passa desapercebido é uma das qualidades da atividade de desenhar. Aqui uma homenagem ao artista desconhecido que grafitou este muro, na Rua Leroy Bookalter.


O tempo chuvoso me obrigou a procurar um espaço protegido. No espaço de exposição do CEDOC da Fundação Romi registrei este trator Toro ano 1948.


As trocas, o trabalho, o espaço público e sua apropriação, o conceito do abrigo, seja ele uma árvore ou a lona de um carrinho de lanches. Todas estas ideias me vieram à mente depois deste desenho. Não sei dizer bem o porquê da escolha do objeto. Talvez estas ideias já estivessem latentes, esperando que fossem desenhadas.


E por fim, este antigo caminhão Mercedes-Benz. Sempre em frente à casa do proprietário, parece já fazer parte da rua.

11.12.14

Conheça os Correspondentes: Ricardo Inke, de Paraty - RJ

Nascido no Rio de janeiro em 1957, é engenheiro de formação, mas desde 1997 tem se dedicado à aquarela e ao desenho de maneira profissional. Há mais de 10 anos vive em Paraty, onde mantém seu ateliê. Seu interesse intenso pelo urban sketch começou em 2013, quando conheceu o movimento internacional, tendo participado, e colaborado como instrutor de atividade, no 5º Simpósio Internacional de Urban Sketching 2014 em Paraty. É também coorganizador do Encontro Internacional de Aquarelistas em Paraty, que este ano teve sua 6ª edição. Desde 2013 tem organizado o grupo de Urban Sketchers em Paraty, que se reúne quinzenalmente, e já realizou 25 encontros locais. Em novembro esteve em Taubaté (SP) como instrutor de uma oficina de urban sketching, com o intuito de expandir o número de grupos locais na região. No momento está preparando um livro com os sketches aquarelados que tem feito sobre a cidade de Paraty, e outro sobre o Caminho de Santiago de Compostela, que percorreu em 2013.









9.12.14

FINAL DE SEMANA NA PRAIA DA COCANHA EM CARAGUATATUBA/ SP



Mais um final de semana de praia, desta vez na Praia da Cocanha  em Caraguatatuba, litoral norte do Estado de São Paulo ..
Aí estão minhas amigas Beth e Tânia, que contemplam o movimento da praia e a paisagem, tentando captá-los para seus esboços ..
Final de semana nota 10 ..

Parque Vicentina Aranha

Desde que fui convidado a participar do blog, como correspondente em São José dos Campos, esta é minha primeira contribuição direta.
O Parque Vicentina Aranha, criado na área de um antigo sanatório para tratamento de turbeculose, é onde eu exponho meus trabalhos, toda manhã de domingo.
Quando tenho tempo, não perco a oportunidade de fazer algum sketch durante a feira de arte.
Este foi do último domingo ,dia 7, observando a natureza do local.
O sol estava muito forte e a luz por entre as árvores me fez parecer que estava dentro de uma pintura impressionista com toda aquela variação de tons e cores.



2.12.14

Em Copacabana, Rio de Janeiro

4º Encontro Urban Sketchers Rio, Forte de Copacabana, 30/11/2014 



O dia amanheceu muito nublado e com uma grande fila de entrada para entrar no Forte, principalmente de turistas interessados em tomar um delicioso café da manhã na Confeitaria Colombo e Café 18 do Forte com uma das mais belas vistas do Rio de Janeiro.
 
Após um breve passeio pelo Forte decidimos desenhar em um ponto coberto, o que foi ótima decisão, pois uma leve chuva com bastante vento nos pegou enquanto desenhávamos. Nada que espantasse os frequentadores do Café, que junto com os guarda-sóis vermelhos e as grandes árvores, coloriram a cinza vista de Copacabana ao fundo. 
Não houve foto do grupo pois alguns saíram antes por causa da chuva e do frio que nos pegou de surpresa e outros chegaram bem depois. No total foram 6 Sketchers. 

O grupo do Rio de Janeiro se organizou em Setembro/2014, impulsionado pelo maravilhoso 5º Simpósio Internacional de Urban Sketching / Paraty. Inicialmente com encontros mensais e agora com encontros quinzenais aos domingos, o grupo está ainda se solidificando, gradualmente formando uma base de apaixonados por desenhar essa Cidade Maravilhosa.

Agradeço a todos, coloco abaixo fotos e alguns desenhos produzidos no encontro.


Autor: Vitor Nunes

Autora: Thais Canavezes

Autor: Marcos Paulo Drummond




Praia de Copacabana, vista do Forte


1.12.14

Novidades do próximo simpósio!

Olá pessoal!

Ano que vem o simpósio será em Singapura! :)

Estamos muito animados para desenhar nesta incrível cidade-Estado!

Hoje foi anunciado o Call for Submissions Singapore 2015, que nada mais é do que abertura de inscrições para quem pretende enviar uma proposta de workshop, atividade ou palestra.

As informações completas podem ser encontradas no link:
Lembrando que o idioma oficial do evento é o inglês.

Organizem suas propostas, o prazo para envio termina no dia 22 de dezembro, segunda-feira, às 23:59 (no fuso GMT).