18.2.18

30.1.18

Giro turístico com sketch no centro de São Paulo

Oi Pessoal !!

Feliz Ano Novo com muita Pax et Axé prá todos!

Começando os registros do ano, queríamos, a Barbara e eu, mostrar o resultado passeio turístico que fizemos no último domingo, o Walking Tour Igrejas do Centro Histórico, tour este organizado pelo Passeios Baratos em São Paulo em associação com o grupo Giro in Sampa. Gostamos muito e pretendemos fazer outros passeios com estes grupos - o leque de opções deles é bastante amplo .

Nosso desafio foi registrar estas 3 horas de andanças através de sketches muito rápidos dos lugares visitados e algumas anotações sobre os mesmos. Não havia desenhistas no grupo e, além disso, queríamos prestar atenção nas explicações da historiadora ; mas o resultado nos agradou. Nos próximos passeios acredito que os registros poderão ser um pouco mais fáceis e melhores, pois já temos uma ideia do que dá prá fazer .

Seguem os nossos desenhos ..... até breve !!

Barbara e Marilia














29.1.18

Termas dos Cucos

Termas dos Cucos...Podia ser tanta coisa, mas teima em "não ser nada".
 


24º Encontro USK Fortaleza - Praia de Iracema


Texto do sketcher Fabrício Porto

Sketch na chuva.
Diz um jovem poeta de nossa terra que 'lágrima de índio, quando cai, arrasa mondubins, alaga aguanambis... cariris todos debaixo d´agua, tabajaras... quanta mágoa em tua taba'. Trata-se de uma bela canção que conecta o inesperado drama que sempre é a chuva em Fortaleza e nossa porção cultural indígena, que nomeia nossas ruas e bairros. Acostumados ao religioso sol que nos invade a pele já às seis da manhã, recebemos as chuvas de começo de ano como uma desorganizadora da vida feita em torno da forte e constante luz equatorial que incide em nossos quatro graus de latitude sul.
Assim, sob o chover e no bairro com nome de índia, é que se desenrolou neste sábado, 27 de janeiro, o 24º encontro Urbansketchers Fortaleza. Uma rara manhã de chuva branda e constante, com temperatura na casa dos polares 22°C (é isso mesmo, caros sketchers do sul), que obrigou os desenhistas à abrigarem-se sob pequenas palmeiras, barracas de vender coco e beirais de antigas casas da Praia de Iracema, local escolhido para o encontro e espaço afetivo por excelência da capital cearense.
Para um dia chuvoso, é possível dizer que houve êxito absoluto ao se levar mais de uma dezena de cearenses para a rua numa manhã de sábado para desenhar. E desenhamos, como sempre, à moda alencarina, rindo-se de nossa desgraciosa situação, amontoados e espremidos sob qualquer abrigo possível. Não raro, trabalhadores da praia, a quem a chuva não espanta, paravam para examinar aqueles grupos que se aninhavam sob as escassas cobertas e desenhavam em conluio. 'Muita vontade de desenhar... nessa chuva?!' - era o pensamento por trás das expressões de surpresa e graça dos passantes.
Desenhamos, no entanto. Alguns inserindo sombras que ali não estavam e azuis celestes que não compareceram. Outros sendo fieis aos tons pasteis que o tempo nublado impõe. O casario dos anos cinquenta, de fachadas coloridas, ficou menos vivo. O antigo edifício São Pedro, testemunha de uma época de ouro do bairro e hoje depauperado pelo abandono, ganhou aspecto ainda mais obscuro sob o intruso cinza do nublado. Poucas figuras humanas passavam na calçada para nos servir de modelo e nos presentear com escala e humanização.
São os registros de uma atípica manhã cinza em que tivemos momentaneamente amputados nosso sol e nossa vibrante vida urbana. Vendo os desenhos dos colegas, penso que esta circunstância está sutilmente expressa nos resultados. Naquele dia, registramos a transformação da paisagem pela chuva, em seus diversos aspectos. Registramos o que ocorre quando cai lágrima de índio.

Fabricio Porto, 29 de janeiro de 2018.
*A música citada no começo do texto é Lágrima de Índio, do cantor e compositor cearense Daniel Medina

Desenho: Amando Costa

Desenho: Amando Costa

Desenho: Maria Luisa Maia

Desenho: Rebeca Alencar

Desenho: Mateus Morais

Desenho: Fabrício Porto

Desenho: Fabrício Porto

Desenho: Jairo Diniz

Desenho: Domingos Linheiro

Desenho: Marcos Bandeira

Desenho: Alesson Matos



27.1.18

PÁTIO DO COLÉGIO NO ANIVERSÁRIO DE SÃO PAULO

Mais uma aquarela do Pátio do Colégio, local de fundação da cidade de São Paulo ..
Do 115° Encontro Urban Sketchers São Paulo no feriado de 25 de janeiro, pela fundação da cidade de São Paulo ..
Após passeio de reconhecimento, escolhi esta vista de dentro do Pátio, registrando o agradável movimento do café, bastante frequentada naquele dia por clientes e turistas .

25.1.18

E quando os desenhos saltam dos cadernos para as paredes

Há uns meses o empresário torriense Gualter Costa, disse-me que estava prestes a concretizar um sonho: abertura de um novo espaço de restauração "fora da caixa" no coração da cidade. 

Assim nasceu o Átrio, um novo espaço de restauração que abriu ontem na av. 5 de Outubro em Torres Vedras da autoria do atelier Involve arquitectura.

Quis o Gualter que eu fizesse parte desse sonho, contribuindo com um conjunto de desenhos cujo o tema seria uma paixão que partilhamos: a nossa cidade.
Aceitei o convite, com a condição  de que os desenhos seriam feitos no meu caderno, sem "programa" e sem saber quais os desenhos escolhidos até à inauguração. Assim foi e fico grato ao Gualter, pelo convite e pela compreensão pela forma de me relacionar com o desenho.

Não se trata de uma exposição. Os desenhos fazem parte da arquitectura do espaço. Aqui também tenho que agradecer aos arquitectos da INVOLVE pelo incorporação dos desenhos no espaço.

Assim sendo, terão muito tempo para visitar. Como me disse hoje um amigo meu "andas sempre a fugir das exposições individuais e agora tens uma permanente"...

Não se percam com os desenhos, pois o melhor deste espaço é a comida, o ambiente e o atendimento...














16.1.18

114* ENCONTRO URBAN SKETCHERS SP - CENTRO CULTURAL DE SÃO PAULO

Mais um desenho acabado por hora, pelo final do encontro ..
Depois de um passeio pelo Centro seguido de cafezinho, acabei por escolher esse ponto em frente à escada vermelha e que ostentava como fundo logo ali acima no canto direito, pedaço superior do logotipo daquele espaço, entremeado pelo jardim suspenso cuidadosamente cultivado .. combinação ímpar ..


4.1.18

Convento de Santo António de Varatojo

Em jeito de balanço do ano, pus-me a ver cadernos antigos e descobri vários desenhos que não publiquei.
 
Deixo aqui dois, que em termos gráficos não têm nada de especial, mas trazem o melhor dos desenhos - memórias de momentos bem passados.
 
Estes dois foram feitos numa visita ao Convento de Varatojo, tendo como companhia os brasileiros Marta Viana e Lauro Monteiro. Há muito que estávamos para fazer esta visita, eis que chegou o momento.
 
Enquanto desenhávamos no claustro, saboreávamos o silêncio, que era interrompido apenas, de longe em longe, pelos passos dos franciscanos.
 
 
Ainda consegui apanhar estes dois. Dos mais gordos aos mais magros, dos mais novos aos mais velhos, verificam-se traços comuns - a corcunda que vai aumentando com o avançar da idade, a simplicidade e o olhar tranquilo.
 
 

28.12.17

Praça do Município - Lisboa

Um dia ensinaram-me que os desenhos querem-se fluídos, sintéticos e acima de tudo, sentidos... Por vezes esqueço-me (vezes de mais)